Pular para o conteúdo

Estudo salmos 2

O livro de Salmos é composto por 150 cânticos que expressam a adoração e louvor a Deus. Cada salmo possui uma mensagem única que pode ser aplicada em diferentes momentos da vida cristã. Neste artigo, vamos nos aprofundar no salmo 2 e entender o seu significado para os cristãos. Este salmo é considerado um dos mais importantes do livro, pois fala sobre o poder e a soberania de Deus e a vinda do Messias. Vamos descobrir juntos o que este salmo pode nos ensinar sobre a nossa relação com Deus e a nossa esperança em Cristo.

O que aprendemos em Salmos 2?

O Salmo 2 é um poema que fala sobre a soberania de Deus e a rebelião dos povos contra Ele. O salmista começa perguntando por que as nações se rebelam e os reis se unem contra o Senhor e contra o Seu ungido.

Ao longo do salmo, o autor destaca a futilidade da tentativa dos povos em se opor a Deus. Ele afirma que Deus ri do plano dos ímpios e que Ele os repreenderá com ira. Além disso, o salmista encoraja os reis a se submeterem ao Senhor e a servirem a Ele com temor e alegria.

Podemos aprender com esse salmo que a rebelião contra Deus é inútil e que aqueles que se opõem a Ele enfrentarão a Sua ira. Também podemos aprender que a submissão ao Senhor é o caminho para a verdadeira alegria e paz. O Salmo 2 nos lembra que Deus é soberano e que devemos adorá-Lo e servi-Lo com temor e reverência.

O que diz o salmo de número 2?

O Salmo número 2 é uma poesia que descreve a rebelião dos reis da terra contra o Senhor e Seu ungido, ou seja, o Messias. Ele começa com a pergunta retórica: “Por que se amotinam as nações e os povos tramam em vão?” (versículo 1). Em seguida, o salmista afirma que os reis da terra se levantam e os príncipes conspiram contra o Senhor e Seu ungido (versículo 2).

O salmo continua apresentando a resposta do Senhor a essa rebelião. Ele ri e zomba dos reis da terra, afirmando que Ele estabeleceu Seu ungido como Rei sobre Sião, Sua montanha sagrada (versículos 4-6). O Senhor declara que Seu ungido receberá as nações como herança e os confins da terra como sua possessão (versículo 8).

O salmo termina com um aviso aos reis da terra, para que sirvam ao Senhor com temor e se alegrem com tremor. Eles devem beijar o filho, ou seja, submeter-se ao Messias, para que não sejam destruídos no caminho (versículos 10-12).

Em que categoria o Salmo 2 Encontra-se?

O Salmo 2 é um salmo messiânico, que se enquadra na categoria de salmos reais ou de coroação. Este salmo fala sobre a entronização do Rei ungido por Deus e sua vitória sobre seus inimigos. É um salmo que exalta a soberania divina e a confiança no poder de Deus para proteger e guiar o seu povo.

O que quer dizer Salmos 2 12?

O verso 12 do capítulo 2 do livro de Salmos diz: “Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho; porque dentro em pouco se inflamará a sua ira. Bem-aventurados todos aqueles que nele confiam”. Esse verso é uma exortação para as pessoas reconhecerem a autoridade e soberania de Deus e se submeterem a ela através de seu Filho, Jesus Cristo.

Beijar o Filho é um ato de submissão e adoração, reconhecendo que Ele é o Senhor e Salvador. Aqueles que se recusam a fazer isso enfrentam a ira de Deus e a destruição eterna. Por outro lado, aqueles que confiam em Jesus e o seguem são abençoados e têm a garantia da vida eterna.

Portanto, o verso 12 de Salmos 2 é uma chamada para a submissão a Cristo e uma promessa de bênção para aqueles que o seguem. É uma mensagem relevante e poderosa para todos os tempos e todas as pessoas.

Conclusão sobre o Estudo de Salmos 2

O estudo do Salmo 2 nos leva a refletir sobre a importância de reconhecermos a soberania de Deus em nossas vidas e em todo o universo. O Salmo nos convida a confiar em Deus e a seguir seus caminhos, sabendo que ele é o único que pode nos proteger e nos guiar em meio às adversidades. Que possamos sempre buscar a Deus em oração e louvor, reconhecendo sua grandeza e amor por nós.

Concluindo, o estudo do Salmo 2 nos leva a refletir sobre a soberania de Deus e o seu plano de salvação para a humanidade. Ao mesmo tempo, nos desafia a reconhecer a nossa posição diante de Deus e a buscar a sua vontade em nossas vidas. Que este salmo possa nos inspirar a confiar em Deus em todas as circunstâncias e a buscar a sua justiça e paz em um mundo cada vez mais conturbado. Que possamos meditar em suas palavras e aplicá-las em nossa caminhada diária como cristãos. Que o Senhor nos abençoe e nos guie sempre em sua graça e amor. Amém!

Deixe sua avaliação