Pular para o conteúdo

Explicação salmo 2

O Salmo 2 é um dos mais conhecidos e citados textos da Bíblia. Composto há mais de 3 mil anos, ele é considerado um hino messiânico, que descreve a chegada do rei ungido de Deus e a sua luta contra os inimigos do Senhor. Este Salmo é cheio de simbolismos e metáforas que, muitas vezes, podem ser difíceis de compreender. Por isso, neste artigo, vamos aprofundar a explicação do Salmo 2, analisando cada versículo e trazendo luz ao seu significado profético e atual.

O que aprendemos com o Salmos 2?

O Salmo 2 é um dos salmos messiânicos mais conhecidos e citados no Novo Testamento. Ele apresenta uma visão profética do reinado de Jesus Cristo na Terra e nos ensina algumas lições importantes:

  1. Deus é soberano: o Salmo 2 começa afirmando que as nações se rebelam contra Deus e contra o seu ungido, mas Deus está no controle de todas as coisas e vai estabelecer o seu reino na Terra.
  2. Jesus é o Filho de Deus: o Salmo 2 se refere ao ungido de Deus como seu filho, uma referência messiânica a Jesus Cristo.
  3. O reinado de Jesus é universal: o Salmo 2 afirma que o reinado de Jesus não se limita a uma nação ou a um povo, mas se estende a toda a Terra.
  4. Os reis e governantes da Terra devem se submeter a Jesus: o Salmo 2 adverte os reis e governantes da Terra a se submeterem a Jesus e a servirem a ele com temor e tremor.
  5. Deus protege os seus ungidos: o Salmo 2 promete que Deus protegerá o seu ungido e o estabelecerá como rei na Terra.

Essas lições são importantes para nossa vida cristã, pois nos lembram da soberania de Deus e do seu plano de salvação por meio de Jesus Cristo. Elas nos incentivam a nos submetermos a Jesus como nosso Senhor e Salvador e a vivermos de acordo com a sua vontade.

O que diz o salmo número 2?

O Salmo número 2 é um dos mais conhecidos e citados na Bíblia. Ele é um salmo messiânico, que fala sobre o reinado do Messias, o Filho de Deus.

No início do salmo, há uma pergunta retórica: “Por que se amotinam as nações e os povos imaginam coisas vãs?” (v. 1). A resposta é que os reis da terra se levantam e os governantes conspiram contra o Senhor e contra o seu Ungido (v. 2).

O salmista declara que Deus se ri desses conspiradores e zomba deles (v. 4). Ele diz que o Senhor estabeleceu o seu Rei sobre Sião, o seu santo monte (v. 6).

O salmo continua afirmando que o Filho de Deus é o herdeiro de todas as nações e que ele os governará com vara de ferro (v. 8-9). Ele conclui com um convite para que todos os reis e juízes da terra se curvem diante do Senhor e o adorem com temor (v. 10-12).

Ele também mostra a importância de se curvar diante do Senhor e adorá-lo com temor.

Quem é o autor do Salmo 2?

O autor do Salmo 2 não é especificamente identificado na Bíblia, mas acredita-se que tenha sido o rei Davi ou um dos profetas que o seguiu. O Salmo 2 é um salmo messiânico que fala sobre o Messias, o Ungido de Deus que governará as nações. É possível que Davi tenha escrito o Salmo 2 como uma profecia sobre seu próprio descendente, Jesus Cristo, que mais tarde se tornaria o rei dos judeus e o salvador do mundo.

O que quer dizer Salmos 2 12?

O versículo 12 do Salmo 2 diz: “Beijai o filho, para que se não ire, e pereçais no caminho; porque em breve se inflamará a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam”.

Este versículo é uma admoestação para os reis e governantes da terra que se rebelam contra Deus e Seu ungido. Eles são chamados a se submeter ao Filho de Deus, a beijá-lo como um sinal de submissão e obediência, para que não enfrentem a ira de Deus e a destruição eterna. Aqueles que confiam no Filho de Deus são abençoados e protegidos por Ele.

Conclusão

O salmo 2 é uma reflexão sobre a soberania de Deus e a insurgência dos povos contra Ele. Ele nos mostra que Deus é o governante supremo, que tem o controle de todas as coisas. Mesmo quando o mundo parece estar em desordem, podemos confiar que Deus está no controle e trabalhando em prol de Seu propósito. O salmo 2 nos lembra de confiar em Deus e adorá-Lo como o único que pode nos guiar e proteger.
Em resumo, o Salmo 2 é uma poderosa declaração de louvor ao Senhor Deus e uma advertência para os reis e governantes da Terra que se rebelam contra Ele. Este Salmo nos lembra que a verdadeira sabedoria e a verdadeira segurança só podem ser encontradas em Deus. Ele é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, e nenhum poder ou autoridade terrena pode se comparar com Ele. Que este Salmo nos inspire a buscar a Deus em todas as coisas e a confiar em Sua soberania em nossas vidas. Amém!

Deixe sua avaliação