Pular para o conteúdo

O pai de Abraão era idólatra versículo

O patriarca Abraão é uma figura importante em diversas religiões, incluindo o Judaísmo, Cristianismo e Islamismo. No entanto, pouco se fala sobre seu pai, Terá, que é mencionado brevemente no livro de Gênesis como um idólatra. Este artigo tem como objetivo explorar a história de Terá e sua relação com Abraão, bem como analisar o significado deste detalhe na narrativa bíblica. Será que a idolatria de Terá influenciou a vida e as escolhas de Abraão? Qual é a importância deste fato para o contexto histórico e religioso em que a história foi escrita? Estas são algumas das questões que serão abordadas neste artigo.

O que a Bíblia fala sobre Terá pai de Abraão?

Terá é mencionado na Bíblia como o pai de Abraão em Gênesis 11:26-32. Ele era um idólatra que viveu em Ur dos Caldeus com sua família. A Bíblia não menciona muito sobre Terá, exceto que ele teve três filhos: Abraão, Naor e Harã.

Embora Terá tenha sido um idólatra, Deus escolheu Abraão para ser o pai de uma grande nação. Em Gênesis 12:1-3, Deus chamou Abraão para deixar a casa de seu pai e seguir para uma terra que Ele mostraria a ele. Deus prometeu abençoar Abraão e fazê-lo uma grande nação. Abraão obedeceu a Deus e partiu para a terra prometida.

Apesar das origens idólatras de seu pai Terá, Abraão se tornou um homem de grande fé em Deus. Ele é considerado um dos heróis da fé na Bíblia (Hebreus 11:8-19) e é conhecido como o pai do povo judeu e dos cristãos.

Quem quebrou os ídolos na Bíblia?

No livro de Gênesis, capítulo 12, versículo 4, é mencionado que Abrão (posteriormente conhecido como Abraão) saiu da cidade de Harã com sua esposa Sarai e seu sobrinho Ló. Antes de deixar Harã, seu pai Terá, que era idólatra, havia construído ídolos para serem adorados.

No entanto, alguns estudiosos acreditam que a história da quebra dos ídolos é contada em Gênesis, capítulo 31, versículos 19-35. Nesse trecho, Jacó, neto de Terá e sobrinho de Abraão, foge da casa de seu sogro Labão e leva consigo sua família e seus bens. Labão os persegue e, ao encontrá-los, acusa Jacó de ter roubado seus ídolos. Jacó, porém, desconhecia a presença dos ídolos entre seus pertences e permite que Labão os procure. Quando Labão não os encontra, Jacó o acusa de ter roubado seus bens e diz que aquele que tiver os ídolos será morto. Mais tarde, é revelado que Raquel, esposa de Jacó, havia roubado os ídolos e os escondido em sua sela. Jacó então os entrega a Labão e os destrói, mostrando sua fidelidade a Deus e sua rejeição à idolatria.

O que Abraão fazia antes do chamado de Deus?

No livro de Gênesis, não há muita informação sobre o que Abraão fazia antes do chamado de Deus. No entanto, é possível inferir que, assim como seu pai Terá, Abraão seguia o politeísmo e adorava ídolos.

O versículo 2 de Gênesis 12 diz: “E disse o Senhor a Abraão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vem para a terra que eu te mostrarei”. Isso sugere que Abraão estava vivendo com sua família e seguindo as tradições de seus antepassados antes de receber o chamado de Deus.

Após o chamado, Abraão se tornou um dos mais importantes patriarcas da Bíblia, sendo considerado o pai da nação de Israel e um modelo de fé para muitos cristãos.

O que Jesus diz sobre Abraão?

No Evangelho de João, capítulo 8, Jesus está discutindo com os fariseus e judeus que o questionam sobre sua autoridade e sua relação com Deus. Em um determinado momento, eles afirmam que são descendentes de Abraão e, portanto, já possuem a salvação. Jesus, porém, responde:

Se vocês fossem filhos de Abraão, fariam as obras de Abraão. Mas agora vocês procuram me matar, a mim, homem que lhes falei a verdade que ouvi de Deus. Isso Abraão não fez. Vocês estão fazendo as obras do pai de vocês”.

Jesus está dizendo que a verdadeira descendência de Abraão não é determinada pelo sangue, mas pelas obras. Abraão era conhecido por sua fé em Deus e sua obediência, e Jesus está chamando os fariseus e judeus a seguirem o exemplo de Abraão em vez de confiar em sua ascendência.

Essa afirmação de Jesus mostra que a verdadeira relação com Deus não é baseada em questões de genealogia ou tradição, mas sim em uma fé sincera e em obras que demonstram essa fé. É um convite à transformação interior e à prática do amor e da justiça em vez de confiar em nossos próprios méritos ou tradições religiosas.

Conclusão

O versículo que menciona o pai de Abraão como idólatra é uma referência importante para entendermos a história do patriarca bíblico. Apesar do contexto cultural e religioso em que vivia, Abraão escolheu seguir a Deus e tornou-se um exemplo de fé e obediência. Este relato nos ensina que podemos escolher seguir a vontade de Deus, mesmo que isso signifique ir contra a cultura e tradições de nossa época.
Gênesis 11:31 nos revela que o pai de Abraão, Terá, era idólatra. Porém, Deus escolheu Abraão para ser o pai da nação de Israel e para ser o exemplo de fé para todas as gerações seguintes. Abraão obedeceu à voz de Deus e deixou sua terra natal para seguir a vontade divina. Ele se tornou um grande exemplo de confiança e submissão a Deus, mesmo em meio às dificuldades. Isso nos mostra que, independentemente do passado de nossos pais ou antepassados, podemos escolher seguir a Deus e sermos usados por Ele para cumprir Seus propósitos em nossas vidas. Que possamos seguir o exemplo de Abraão e permitir que Deus nos conduza em sua vontade.

Deixe sua avaliação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *